Eu sei que prometi que o próximo post seria sobre o Bunny-chan, mas decidi adicionar esse texto que é mais geral, porém tem um pouco a ver com Tiger e Bunny. Trata-se do incrível e maravilhoso universo das fanfics e fanarts.

Eu entendo que o bom daquilo que é feito por fãs é a liberdade. E daí se no anime Tiger e Bunny nunca se beijaram nem trocaram juras de amor? Se um(a) fã acha que eles ficam lindos juntos, pode muito bem escrever uma fanfic em que eles namoram, casam, tem filhos… ou desenhar os dois se beijando… é coisa de fã, sem compromisso com produção, retorno financeiro, ou mesmo qualidade artística (se bem que quanto melhor a qualidade do trabalho, mais chances de ter aquele gostinho bom de ser elogiado e admirado pelo fandom).

Kotetsu

O Kotetsu original…

little tiger

…e a minha tentativa de fanart. Apesar das diferenças dá pra perceber que é uma versão chibi do Kotetsu por causa da barbicha e do sorrisão confiante, né? XD

Certa vez li um artigo sobre fanfics em um jornal, em que o autor questionava a exigência que certos fãs faziam de que os personagens estivessem IC (In Character, em inglês, significa “de acordo com o perfil oficial”). Para quê isso, ele se perguntava, se fanfic é algo que o fã escreve para satisfazer suas fantasias, que frequentemente são muito diferentes do que foi concebido pelo criador original da série/anime/filme/etc.? Dou razão ao cara, porém com ressalvas. Trabalho de fã é essencialmente para satisfação pessoal, sim. Não busca lucro, não tem compromisso com o original. Mas busca, sim, reconhecimento. Basta uma rápida olhada numa página de um FF.net: todo mundo que publica pede reviews. Alguns buscam no fanfic uma forma divertida de exercitar a escrita, mas a grande maioria quer mesmo é fazer contato com outros fãs, pessoas que tenham fantasias similares que digam “eu amei sua fic, também shippo A com B, eles são tão fofos!” ou “sua fic arrasou, também acho que A deveria ter vencido aquela batalha, o B é um loser!”

E aí chegamos a uma encruzilhada: o bom da fanfic é a liberdade, mas o fã quer que sua história seja lida e apreciada por outros, então, não dá para ser tão livre assim. Isto, por que para que sua história seja lida e apreciada por outros, ela tem que ser bem escrita. Tem que ter começo, meio e fim (não necessariamente nessa ordem), tem que fazer sentido dentro do universo do fandom (nada de fazer aparecer fadas numa fic de, digamos, Samurai X, a não ser que você tenha uma explicação muito, mas muito boa mesmo para isso acontecer). E, principalmente, os personagens tem que estar reconhecíveis, já que eles são a razão de ser da sua história. Afinal, se eu gosto de Tiger e Bunny a ponto de procurar fanfics para ler, é por que eu gosto daquele universo e daqueles personagens. Uma história em que o Kotestu é tão diferente do original que não se consegue reconhecê-lo não tem graça. O mesmo vale para fanart: se eu desenhar um cara supermusculoso com cabelo preto e liso e disser que é o Barnaby, ninguém vai aceitar.

 

Para mim, a resposta para este dilema é: cuidado e carinho. Pense nos bons escritores de ficção científica e fantasia. Eles conseguem fazer os leitores aceitarem universos paralelos, vampiros, bruxas e todo o tipo de coisa que pouca gente leva a sério na vida real, por que sabem urdir uma trama com cuidado, com atenção aos detalhes, de forma que, depois de ler um ou dois parágrafos já estamos acreditando em tudo.

Não tenho nada contra quem curte escrever e ler fanfics apenas para viver a fantasia de um Kotetsu transformado em intelectual tímido e Barnaby em um mafioso rude e cheio de marra. Eu apenas me reservo o direito de querer algo mais. Esta é a minha humilde tentativa de motivar aqueles que são como eu a buscarem, não a perfeição (aí também seria querer demais, né?) mas, pelo menos, o bem feito.

Levanto aqui a bandeira da qualidade nos fanworks. Deixo aqui a minha homenagem a todos aqueles que se esforçam para criar fanfics plausíveis, que se dão ao trabalho de pensar, de reler e reescrever para que os leitores possam embarcar na fantasia mais facilmente; a todos aqueles que, independentemente do nível de habilidade, se dão ao trabalho de buscar referências e dar atenção aos detalhes na hora de desenhar uma fanart.

O maravilhoso mundo das fanfics e fanart deve muito a vocês. Parabéns!

Fanficcers de qualidade

Milla Ruby Wind ( http://www.fanfiction.net/u/1496032/Milla_Ruby_Wind ): uma das poucas ficcers de qualidade que conheço que escrevem em português. No FF.net ela só tem 3 histórias publicadas, e só uma de Tiger e Bunny mas vale a pena ler. Sua especialidade é o angst.

Lirit Thttp://www.fanfiction.net/u/1694090/Lirit_T ): mais uma que escreve em português. Atualmente ela tem escrito mais sobre Avengers. Adorei “Entrelaces” e “Your Story”, ambas de Tiger e Bunny.

Kitarinhttp://www.fanfiction.net/u/302619/ ): se você não sabe inglês, faça um curso para poder ler as fics de Kitarin. Ela é absolutamente fantástica, não dá para não se emocionar com o que ela escreve. E ainda por cima escreve sobre dois dos meus All Time Favorites – Get Backers e Tiger e Bunny!

Imadra Bluehttp://www.fanfiction.net/u/87408/ ): esta é uma ficcer de nível profissional e outra que, se você não sabe inglês deve procurar aprender para poder conhecer. Escreve excelentes fics de aventura e ação, o que é difícil de se encontrar em fanfictions. Imadra Blue tem uma respeitável lista de fics publicadas no FF.net dos mais variados fandoms, desde Star Wars passando por Final Fantasy, Kuroshitsuji, Katekyo Hitman Reborn e, claro, Tiger e Bunny.

No caso de fanarts, como é difícil conseguir permissão dos artistas para publicar os desenhos deles (mando 10 e-mails, 1 responde e geralmente é “não”, por isso a minha galeria não vai pra frente, kkkk), vou só indicar onde vocês podem encontrar arte de qualidade. Os mais belos que já vi estão no Pixiv.net, mas como o site é japonês fica um pouco difícil achar o seu fandom lá dentro. A outra opção é o Deviantart, que é um site americano.

 

Yakko, over and out.

 

 

Advertisements